Herois do Olimpo RPG

Fórum de Mitologia Grega baseado em Percy Jackson e os Olimpianos e Os Heróis do Olimpo!




ATUALIZAÇÕES DO FÓRUM




Absolutamente TUDO de novo que foi adicionado ao fórum DEVE ser postado neste tópico (localizado em "Noticias e Atualizações" do Mural Divino). Esse é um tópico de uso exclusivo da ADM para expor novas informações e servirá como um meio de comunicação onde os players poderão se manter atualizados sobre aquilo que vem acontecendo dentro do fórum.
Por isso peço encarecidamente que sempre estejam olhando este tópico e que o enviem aos novatos para se ater das mesmas coisas que vocês, avisem colegas e amigos sempre que virem algo novo acontecendo.
Se você, jogador, tiver algo para falar a respeito do que foi postado aqui, use nossa chatbox ou mesmo o tópico da central de atendimento: http://www.heroisdoolimpo.com/t46-central-de-atendimento-ao-campista

IMPORTANTE: Esse tópico é para ser atualizado sempre que algo mudar, não precisa ser preenchido somente por Ártemis e Hefesto. Se vc tem algo novo para postar, POSTE COMO COMENTÁRIO AQUI, seja uma mega missão, ou qualquer outra coisa.

Veja em: http://www.heroisdoolimpo.com/t2341-atualizacoes-do-forum-leiam-e-fiquem-por-dentro-do-que-esta-acontecendo

Novidades serão postadas como comentários ao longo do tópico!



Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

 » Estados Unidos da América » Estados Unidos da América » São Francisco » 

Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 5 de 6]

Hermes

avatar
Deus Olimpiano
Deus Olimpiano
Ver perfil do usuário

Foi um tempo considerável de viagem. Nesse meio tempo, Vitor conta a Salitork que as pessoas que eles viram congeladas eram ilusões da Drow Ranger. O garoto fica perplexo com as habilidades das pessoas e seres desse “novo mundo” em que acabara de entrar. Isso obviamente também faz com que ele desista da ideia de voltar até a rodoviária, seguindo a viagem normalmente...

Por incrível que pareça, tudo saiu tranquilo. Zoe e Vitor aproveitam para descansar, pois muita coisa já havia acontecido até então. Já estava escuro, eram quase 19:00 quando o grupo chega até a entrada da floresta. Esse atraso de horário aconteceu em virtude de os 3 semideuses caminharem da rodoviária até lá.

Uma coisa peculiar acontece. Logo na entrada, Zoe sente o cheiro de... Goblins? Sim, goblins. Eram dois deles e corriam na direção do trio, mas diferente do esperado, eles não estavam vindo para atacar... Eles estavam fugindo de algo... Com sua audição aguçada, Zoe consegue ouvir o som de poderosas adagas e alguns gritos que iam ficando cada vez mais baixos. Seu cão de caça assume uma posição de alerta de imediato e só não avança porque está à espera de um comando de sua dona... Ele era bem treinado.

O cheiro de fumaça que estava desde o início seguindo os três se intensifica. Mesmo Salitork e Vitor agora são capazes de senti-lo agora. Uma risada diabólica podia ser ouvida. Riki estava perto, espreitando de algum lugar. Zoe tem então lampejos e visões passando por sua mente. Uma breve profecia. No meio da floresta um grupo de goblins mortos, todos aparentemente assassinados. Vitor e Salitork com espadas em punho enfrentando duas criaturas de porretes e finalmente a imagem que mais lhe chama a atenção: O demônio Riki em cima de uma árvore  encarando a caçadora, que estava no meio daquele "cemitério de goblins", enquanto este lambia tranquilamente um par de adagas comuns , como se estivesse se apresentando...

Os dois goblins que corriam na direção dos dois caem no chão mortos quando chegam a cerca de 6 metros do trio. Foram atingidos por duas adagas comuns, típicas das utilizadas pelos próprios goblins. Elas foram arremessadas com grande precisão e levaram as duas criaturas que tinham medo estampado em seus rostos a se transformarem em pó. Zoe apanha as adagas e olha para os dois campistas. Ela teria decisões sérias para tomar, pois sua missão é levar os garotos em segurança ao acampamento mas também precisava cumprir a promessa de caçar Riki, que claramente estava próximo e aparentemente tentando amedrontar os semideuses...



Zoe Salvatore –
HP: 226/226
MP:192/192


Vitor Allan
HP: 100/100
MP: 100/100


Salitork –
HP: 100/100
MP: 100/100

Riki:


#41

Cristie Tinuviel

avatar
Filho(a) de Apolo
Filho(a) de Apolo
Ver perfil do usuário
Olho para as adagas em minhas mãos. Dentro de mim, duas metades travavam um conflito. A visão deixava tudo ainda mais complicado. Levando em conta o nível de habilidade de Drew, e o trabalho que ela me deu... e que ela não havia sido capaz de derrotar o tal Riki... ele seria um oponente e tanto. Eu não poderia me distrair no meio da batalha contra ele para ajudar os garotos. 


Minha missão, meu foco, era levá-los sãos e salvos até o Acampamento. Mas uma Igual-de-armas havia sido covardemente assassinada em minha frente. Logo após render-se e pedir por ajuda. Eu não conseguiria respirar sem sentir uma pontada de culpa a cada vez que o ar entrasse em meus pulmões, se não cumprisse com minha promessa. Ao agarrar aquelas flechas eu havia firmado um contrato. 


Me perdoem, garotos — Falo — Mas nós teremos um pequeno contratempo — Giro as adagas nos dedos e seguro-as com as pontas destes, pronta para arremessá-las — Fiquem atrás de mim, por favor. 


Assim, começo a seguir na direção da floresta, atenta para tudo ao redor; aos cheiros, aos sons, às formas. Se eu ver alguma adaga vindo contra nós imediatamente uso as que estavam em minhas mãos para bloqueá-las no ar. no caso de serem lançadas contra os garotos, eu disparo as que tinha comigo, retaliando as outras no ar. 


Caso chegue até a cena que vira em minha visão — um Genocídio de goblins na floresta — eu aviso a eles;


Tomem cuidado com porretes. Desviem. Não bloqueiem. Fluflu, você ataca port trás — digo para os meninos e para o cão, esperando que eles entendessem o recado, quando a hora chegasse. Não adiantaria muito falar sobre. 


De qualquer forma, fico sempre atenta para bloquear ataques, usando meus instintos para permanecer alerta ao máximo. No meio da floresta, caso esteja muito escuro, eu pego uma pedra mediana e uso Calor Solar para fazê-la brilhar, iluminando mesmo que um pouco o caminho para os garotos. 



Calor Solar: O filho de Apolo usa esta habilidade para aquecer algum objeto que ele tocar. Porém, eles também se tornam levemente luminosos, causando dificuldade de esconder-se no escuro. O uso da habilidade requer 15 pontos de energia. 



Passivas importantes:


Flecha Veloz: Sua flecha se move numa velocidade superior ao normal, deixando menos tempo para o alvo se esquivar.
Profecia Intermediária: Aumentando o poder de "Profecia Básica", o Filho de Apolo pode prever acontecimentos futuros na missão ou na própria luta.
Velocidade: Por viverem pelas florestas perseguindo suas presas, as caçadoras de Ártemis desenvolvem ótima velocidade, aceleração e reflexos, tornando-as muito rápidas e evasivas. Dificilmente são atingidas quando estão atentas.
Instinto Selvagem : As caçadoras possuem sentidos muito aguçados, podendo ouvir e sentir o perigo se aproximar muito antes do que qualquer um.
Bracelete de Ártemis: Acrescenta bônus em precisão, velocidade e agilidade.

#42
Ver perfil do usuário
Tantas coisas passando pela minha cabeça. Treinamento, a luta contra esqueletos e Elfos. Mas não era hora para isto, estava-mos na floresta! A noite... No escuro, sozinhos, ou era oque eu pensava, mas Goblins apareciam estéricos correndo feito... Estéricos! Eu saquei minha espada e fui logo direcionar um golpe na altura da garganta de um deles, mas pareciam com medo. Não estavam atacando, portanto continuei com a espada em mãos e andando mais um pouco via-mos coisas horrendas, maus presságios vinham em minha mente, mas eu havia prometido que não seria tão negativo e disse.

-Vai ver estavam numa festa de formatura, sabe, adolescentes fazem muita bagunça.- Mas parece que pela primeira vez eu deveria mesmo ter um mal presságio, os Goblins estavam mortos, e uma fumaça era avistada, dei um passo a frente mas logo olhei para Zoe, ela parecia estar um pouco desligada mas tentei deixar isto de lado.

Um tempo após o descobrimento do local, uma criatura pavorosa saia da névoa, ele matava mais Goblins com suas próprias armas, eu ficava desgovernado e pensava em atacar, mas perder o controle? De jeito nenhum, da ultima vez quase morri.

Fiquei calmo e não tirava os olhos da criatura, dei curtos passos para trás ficando ao lado do Allan, Zoe parecia que conhecia aquela criatura e logo dava suas ordens, era para nos afastar-mos... Veriamos uma luta de verdade acontecer, ou um verdadeiro massacre, não deveria-mos bloquear, apenas desviar. Pois bem, olhei para Allan e balancei a cabeça como um sinal positivo guardando a espada para facilitar o uso das minhas mãos durante uma possível esquiva.



Você quer me desafiar?
Sou Salitork de Haros, filho de Deméter.
Futuro Atleta de Héracles, não sucumbirei fácilmente.

"Nunca morra para defender seus ideais,
Antes viva para defender quem ama,
Do que morra e o deixe em sofrimento eterno."

E ai, pronto para ser engolido pela glória da terra?
#43

Vitor Allan Collingwood

avatar
Filho(a) de Hermes
Filho(a) de Hermes
Ver perfil do usuário
E Estávamos na floresta, agora só tínhamos que atravessá-la, já deviam ser umas sete horas da noite e nós havíamos chegado na orla da floresta que teríamos que atravessar, eu expliquei para Salitork que os corpos congelados eram uma ilusão e ele desistiu da ideia de fugir mas ainda pareceu desconfiado, "adentramos" a floresta quando monstros que pareciam goblins correram mas não para nos atacar mas sim para fugir de algo que parecia muito assustador, quando de repente duas criaturas com armas estranhas nas mãos, aquelas armas não eram espada nem lâmina tinham eram como se fossem feitos para porrada não para cortar, atrás dos monstros apareceu uma criatura que parecia ser um demônio, lambendo duas adagas, eu rapidamente em punho minha espada percebo que Zoe também sacou duas adagas, ela diz umas palavras que não dei muita tenção e então ela pede para nós ficarmos atrás dela e eu a obedeço, os monstros pareciam querer atacar eu e Salitork, então eu fico na posição de defesa, caso qualquer um dos monstros me ataque eu esquivo tentando me proteger, aguardando os comando da caçadora.

#44

Hermes

avatar
Deus Olimpiano
Deus Olimpiano
Ver perfil do usuário


Zoe começa a adentrar a floresta depois de avisar aos garotos para tomarem cuidado. A floresta estava um tanto escura e um vento gélido soprava pelo local. A caçadora apanha uma pedra mediana e usa seu calor solar para se aquecer ao mesmo tempo em que faz o objeto tornar-se luminoso.

Um barulho podia ser escutado na mata próxima ao local e a caçadora que estava atenta consegue interceptar duas adagas no ar com as mesmas que havia apanhado anteriormente. Os dois projéteis teriam perfurado as cabeças dos dois indefinidos sem que eles sequer notassem.

Ela percebe que Riki estava ali quando o monstro aparece em cima de uma árvore, conforme a premonição que tivera minutos antes. Como num passe de mágica, Zoe percebe que Salitork e Allan não estão mais por perto. Riki conseguiu teleportar os dois para outro ponto da floresta.

- Vejo que você herdou a aljava da inútil Drow... Aquela arqueira de 5ª me procurou pela vida toda para morrer pateticamente. Espero que seja melhor que ela. Quanto aos dois moleques... Eu deixei alguém para cuidar deles, não se preocupe. A propósito, sou Riki, o demônio mago assassino.

O monstro lambia adagas ensanguentadas e Zoe se vê cercada por cadáveres de goblins, aparentemente todos vítimas do demônio. Ele se encarregou de “limpar” a floresta para ter seu combate com a arqueira. O monstro dá um grunhido e desaparece em uma névoa rôxa. Ele ficou invisível do mesmo modo que fez quando matou Drow.

Enquanto isso, Salitork e Vitor estavam caminhando pela floresta à procura de Zoe sem entender o que havia acontecido. Eles estavam com a pedra luminosa que a caçadora criara pouco tempo antes e o cão também os acompanhava. Ele grunhia porque de alguma forma, não sentia o cheiro de sua dona.

Em um momento durante a caminhada, Salitork é empurrado por Vitor. O garoto parecia não entender o motivo de atitude tão repentina, mas se dá conta de que fora salvo pelo companheiro. Um enorme porrete havia batido no chão com muita força e das sombras surge um Ogro enorme, cerca de 2 metros e meio. O monstro era bizarro. Tentava sorrir mas faltavam-lhe os dentes da frente e exalava um cheiro podre. Ele era estrábico e tinha vários insetos lhe circulando, mas parecia não se incomodar.

- Que coisa. Por que pulou na frente, moleque? Seu amiguinho teria uma morte rápida se eu tivesse acertado. Agora vou ter que torturar ele do mesmo jeito que eu planejava fazer com você...

O monstro levanta uma vez mais o porrete e começa a avançar na direção dos garotos.



Zoe Salvatore –
HP: 226/226
MP:192/192


Vitor Allan
HP: 100/100
MP: 100/100


Salitork –
HP: 100/100
MP: 100/100

Riki:




Ogro
HP: 200/200

#45

Cristie Tinuviel

avatar
Filho(a) de Apolo
Filho(a) de Apolo
Ver perfil do usuário
Sinto uma leve onda de pânico dentro de mim ao perceber que os pivetes não estavam mais comigo. Olho o demônio, cheia de ódio, e puxo da cintura minhas adagas. Minhas flechas não seriam muito úteis contra uma criatura que pode se teletransportar e, ainda por cima, ficar invisível. 


Porém puxo da aljava na cintura uma das flechas gélidas de Draw, e seguro-a entre os dedos da mão direita, junto à adaga. Pelo que eu havia percebido, o monstro sabia ser furtivo; Movia-se invisível e com velocidade. Porém eu havia confirmado que ele ainda podia fazer ruídos ao se mover. Assim, fico atenta ao som de sua respiração, de seus cascos no chão, ou de lâminas cortando o ar. Tendo uma vez identificado  a direção do ruído, salto para a lateral, tentando desviar do que for, e caso o veja eu contra-ataco com um golpe de adaga da mão esquerda, tentando atingi-lo em qualquer lugar ao alcance.


Ao mesmo tempo, solto no ar a Flecha Gélida de Drew, tivando nela Flecha Gravitacional e Flecha Paralizante e Flecha Giratória. Na verdade, a qualquer momento que eu ver o monstro eu solto a flecha, liberando minhas magias nela. Mesmo que ele ficasse invisível, então, a flecha o perseguiria infinitamente até atingi-lo. Sendo giratória, atravessaria qualquer árvore no caminho para alcançar seu alvo. 


De qualquer forma, fico atenta para desviar de fogo ou fugir de fumaça; O cheiro que acompanhava o monstro parecia deixar claro que, de alguma forma, ele poderia lidar com fumaça. E onde tem fumaça, tem fogo, ou pelo menos esta era a lógica que eu seguia. Conto com Elie para me dar avisos. 




Flecha Giratória [Intermediário]: O filho de Apolo lança UMA FLECHA que segue girando muito rápido em torno do próprio eixo, causando uma enorme perfuração ao alvo ao atingi-lo, sobrepujando facilmente armaduras pesadas de metais comuns. O uso da habilidade requer 30 pontos de energia. A habilidade entrará em espera durante 5 rodada. 


Flecha Gravitacional [intermediária]: Neste nível, a caçadora encanta uma flecha que é atraída pelo seu alvo. Assim que ela o toca, a gravidade da terra aumenta em 5 vezes para o mesmo, podendo fazer o alvo ficar preso no chão por 3 rodadas. A habilidade consumirá 80 pontos de energia e entrará em espera por 8 rodadas.



Passivas importantes:


Flecha Veloz: Sua flecha se move numa velocidade superior ao normal, deixando menos tempo para o alvo se esquivar.
Profecia Intermediária: Aumentando o poder de "Profecia Básica", o Filho de Apolo pode prever acontecimentos futuros na missão ou na própria luta.
Velocidade: Por viverem pelas florestas perseguindo suas presas, as caçadoras de Ártemis desenvolvem ótima velocidade, aceleração e reflexos, tornando-as muito rápidas e evasivas. Dificilmente são atingidas quando estão atentas.
Instinto Selvagem : As caçadoras possuem sentidos muito aguçados, podendo ouvir e sentir o perigo se aproximar muito antes do que qualquer um.
Bracelete de Ártemis: Acrescenta bônus em precisão, velocidade e agilidade.

#46
Ver perfil do usuário
Ficava um pouco sem rumo quando do nada a nossa Escoltadora sumia, procurava ela a minha volta quando o pobre cãozinho matador de monstros, começava a grünir, voltava minha atenção ao animal e logo depois Allan me empurrava, eu não entendia a principio mas tinha uma enorme criatura querendo nos matar.

-Obrigado Allan!- Disse rápido sem pensar muito.

A criatura segurava uma arma pesada, um porrete, portanto eu presumia que seus golpes fossem um tanto quanto lentos, também pelo seu tamanho e aspecto físico. Acho que se fosse veloz eu não estaria vivo.

A criatura falava com um tom arrogante como se fosse-mos comida, olhei para o cão vagamente mas logo estava prestando atenção no monstro, ele levantava seu porrete mais uma vez, desta vez ele começava a avançar contra nós dois e eu não ficaria parado novamente, também sei que Allan não deixaria ser morto por um Ogro qualquer, pedi que o cão latisse alto, mesmo que ele não obedecesse não custava tentar.

Corria na direção do monstro, eu estaria segurando a espada com as duas mãos ao lado direito do corpo, minha coluna estaria inclinada assim eu estaria correndo com a cabeça numa altura relativamente baixa. Enquanto Allan tentava o destrair fazendo sabe lá oque, eu estava ocupado demais para prestar atenção nos detalhes.

Chegando a uma certa distancia quando percebia o porrete da criatura estava a baixar me jogava dentre suas pernas, com esse movimento eu tentaria deslizar por baixo do mesmo ficando atrás dele, uma vez atrás da criatura eu daria um corte no seu calcanhar, após um corte daria um salto para trás e me abaixaria impulsionalmente, apenas tentando prever qualquer ação do monstro se virar dando um golpe de massa giratório, caso ele fosse a bater no chão, acho que daria tempo de eu me afastar correndo para trás de alguma árvore ou até mesmo tempo do meu parceiro o atacar por trás. cortando sua cabeça.

#47

Vitor Allan Collingwood

avatar
Filho(a) de Hermes
Filho(a) de Hermes
Ver perfil do usuário
Cadê ela? Eu estava na espreita só aguardando os comandos da caçadora quando de repente eu apareço em outro lugar daquela imensa floresta, Pelo menos eu não estava sózinho, o cão de Zoe e Salitork estavam comigo, então uma sombra alta surge em cima de mim quando eu olho era simplesmente um pequeno ogro de acho que uns dois metros e meio de altura, ele estava com uma arma que eu não sabia o nome mas atacou Salitork então por puro reflexo eu o empurrei " pra não virar purê", e o monstro gigante desceu-lhe a porretada mas não o acertou, Salitork me agradece pelo empurrão

-Não foi nada cara, vou distraí-lo

Adotando uma posição de defesa eu pego um uma pedra com um punhado de areia na mão, acho que Salitork iria tentar atacar por trás, eu arremesso a pedra e a areia nos olhos do monstro, esquivando de qualquer ataque em seguida, depois de Salitork executar os movimentos dele eu tentaria atacar caso houvesse chance, não me arriscaria pois morrer tão próximo do acampamento seria uma pena, se o monstro me atacar eu tento esquivar para o lado e depois atacar com um golpe na horizontal com as duas mãos na espada.

#48

Hermes

avatar
Deus Olimpiano
Deus Olimpiano
Ver perfil do usuário

Uma coisa era certa: Zoe não encontraria Riki pelo cheiro como costumava fazer com outros monstros. A camuflagem de fumaça e o cheiro que impregnava toda a área deixavam isso claro. A caçadora rapidamente percebe isso e resolve tentar acompanhar a criatura com sua audição aguçada, procurando pelo som de cascos ou mesmo a respiração do demônio, mas para sua surpresa, nenhum sinal disso se manifestou durante cerca de 3 minutos.

Quando finalmente um barulho suspeito ecoou pela floresta e a caçadora percebeu que se tratava do demônio, ela atirou uma flecha extremamente poderosa e perigosa, uma flecha gravitacional. Aquilo seguiria o demônio para onde quer que ele fosse. Riki contudo, era muito mais esperto do que aparentava. Ele simplesmente se teleportou 3 vezes seguidas. Uma para o lado direito e uma para trás para fazer a flecha mudar seu curso e finalmente, um teleporte para as costas da caçadora, que é atravessada pela própria flecha. Obviamente algo tão potente também acertou o demônio, que não esperava por um golpe tão forte. Ambos foram atingidos na região do estômago e tinham agora que lhe dar com um enorme buraco no local, além da gravidade aumentada e a paralisia no corpo.

Riki Se  teletransporta para trás e assume sua forma invisível, Aparentemente ele esperaria um momento mais oportuno para atacar novamente, enquanto Zoe teria que sentir, talvez pela primeira vez, o que suas pobres caças sentiam. Um detalhe interessante é que o monstro deu uma enorme risada que podia ser ouvida apenas na mente da caçadora. Seria telepatia?

- Eu não imaginei que você teria poderes tão... interessantes, minha cara arqueira. Você de fato é melhor que a Drow. Só é uma pena que você também vai morrer. E não adianta, seu poder de prever o futuro não funciona nessa área. Eu encantei e escolhi esse lugar justamente por ter observado seu combate anterior e para lhe tirar qualquer chance de vantagem. Me precipitei por não contar com habilidades tão poderosas de sua parte, mas é um erro válido, já que você não mostrou tanta hostilidade contra Drow...

Enquanto isso, Os garotos Allan e Salitork estavam com problemas. Salitork pecou na hora de considerar que os movimentos do ogro seriam lentos. Ele possuía força suficiente para movimentar aquele enorme porrete da mesma forma que o garoto era capaz de mover sua espada, por exemplo. Ele só sobreviveu ao primeiro ataque porque Allan o salvara.

Ele resolve correr sem prestar atenção nos acontecimentos da floresta quando uma rocha de aproximadamente 70cm o atinge em cheio. Ela foi arremessada do lado esquerdo e o manda 6 metros para longe, com um ferimento grave no braço e na costela. Do meio do mato, surge um segundo ogro, mas esse era diferente. Trajava uma roupa de bailarina de cor lilás e tinha cílios grandes além de usar... Batom? Era menor que o primeiro inimigo, tinha cerca de 1 metro e 90 de altura. Também segurava um enorme porrete e começa a falar com o  primeiro monstro.

- Olá querido! Não sabia que você ia sair pra caçar hoje. Também senti o cheiro da comida e resolvi ajudar hoje. Veja só, são tão pequenininhos! Como vai querer eles? Assados ou cozidos no molho de cervo com capim?

Vitor segurava um punhado de areia e algumas pedras na mão, mas infelizmente não foi capaz de jogar no ogro porque também foi surpreendido com a aparição de sua... esposa? Ele ainda tinha aquilo na mão e talvez pudesse usar mais tarde, mas era certo que os rapazes estavam com problemas. Para sua sorte, o cão de caça de Zoe estava por perto e fica na frente de Vitor rosnando muito e mostrando seus afiados caninos. Aquilo de certa forma intimida a dupla de monstros que não avança de imediato...





Zoe Salvatore –
HP: 170/226
MP:42/192


Vitor Allan
HP: 100/100
MP: 100/100


Salitork –
HP: 80/100
MP: 100/100

Riki – 60%:




Ogro
HP: 200/200


Ogro Fêmea
HP: 150/150

#49
Ver perfil do usuário
Fui pego de surpresa por uma pedrada, enquanto os Ogrinhos falavam, eu me aproximei do meu parceiro de combate e peguei um punhado de areia também. Já teria-mos um plano base, era básicamente, cegar, debilitar, atacar, seria um momento de um puro ataque, claro, se conseguirmos efetuar os movimentos com sucesso.

Eles pareciam estar falando algo sobre nos cozinhar, isso não era bom, mais dêu tempo para que nós dois pensasse-mos em algo para revidar a altura deles, isto claro sem contar os ataques do canino que poderiam ser bem úteis se ele os efetuasse.

Em fim, quando eles finalmente iriam avançar, o super cão da Zoe começava a rosnar para eles, isto fazia com que os monstros excitassem nos seus movimentos, mas nada que é bom dura por muito tempo.

O plano seria que eu começasse a correr do lado esquerdo de Allan segurando um punhado de areia, Allan estava também da mesma forma, também com um punhado de areia em mãos, ficava atento me esgueirando de raízes com saltos e dava a volta em algumas árvores e rochas, pensava que enquanto eu desviava eles correriam com tudo, assim se machucariam chutando uma pedra com o dedo mindinho, ou machucando-se com árvores, Etc.

Atento ao movimento dos monstros, ao alcançarem uma certa distância, quando os monstros finalmente demonstrassem um ataque efetivo, levantando a sua arma ou rosnando por exemplo. Eu tentaria aproveitar aproveitar esta oportunidade e iria tentar atingir o macho nos seus olhos com a areia/pequenas rochas que eu segurava, esperava que meu parceiro fizesse o mesmo com a fêmea assim como combinado.

Caso consigamos cega-los temporáreamente, eu iria aproveitar a cegueira e possível atordoamento temporareo da criatura para fazer um corte no seu pé direito tentando causar debilitação em sua movimentação. Claro, a criatura tentaria se defender, eu iria tentar me jogar no chão na direção do outro pé da criatura, eu tentaria causar um golpe vertical na sua perna, o corte partiria do joelho e desceria até a parte posterior de seu calcanhar, assim podendo fazer um sangramento e hemorragia caso ele tentasse correr.

Depois de causar os golpes(Ou não), eu ficaria atento aos movimentos dos ogros para dar um salto para longe de quaisquer ameaça, ficaria maior parte do tempo observando e esquivando, quando visse uma oportunidade de ataque certeiro eu iria investir contra o oponente com as duas mãos no cabo da espada, a espada estaria com sua ponta virada para frente criando uma perfuração, após a perfuração eu iria girar a espada dentro do ferimento enquanto me afastava com um salto para trás abrindo o corte e me esquivando de seus movimentos. Caso o golpe do monstro seja um esmagamento vertical, eu irei dar uma esquiva rápida para o lado esquerdo, do monstro sempre me afastando o máximo possível a cada golpe.

Com esses movimentos eu visava debilitar a movimentação do Ogro macho e causar hemorragia no mesmo, assim com seus movimentos mais lentos e ferimentos abertos, seria questão de tempo para que ele morresse. O plano estava feito, esperaria que o Ogro macho caísse após os  golpes em pernas e pés, se conseguisse fazer com que ele caísse eu observaria uma chance de cravar a espada em sua cabeça e rasgar a sua pele até a região da nuca matando a criatura.

Esperei que meu parceiro tomasse conta da "Fiona" Por enquanto que eu destraia o Macho, eu nunca ficaria atrás de nenhum dos dois durante os movimentos, pois ao esquivar eu visava que o Ogro atacasse a sua própria mulher e visse versa, por isso eu precisaria tomar cuidado com ambos. Porém acredito que ela estaria ocupada demais com o outro semi deus para tentar me atacar.


Depois de efetuar todos os movimentos, com ou sem sucesso, pararia no ultimo movimento válido claro e tentaria correr novamente para separar os dois(Ou não), e sempre lembrando que além de tudo isto, o cão mágico das maravilhas poderia atacar o Ogro ou a Ogra, e também poderia empurrar um de nós dois, eu ou Allan, para que saíssemos da mira das criaturas durante movimentos que nós não conseguisse-mos desviar.

#50

Conteúdo patrocinado


#51

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 5 de 6]

Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6  Seguinte

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum