Herois do Olimpo RPG

Fórum de Mitologia Grega baseado em Percy Jackson e os Olimpianos e Os Heróis do Olimpo!




ATUALIZAÇÕES DO FÓRUM




Absolutamente TUDO de novo que foi adicionado ao fórum DEVE ser postado neste tópico (localizado em "Noticias e Atualizações" do Mural Divino). Esse é um tópico de uso exclusivo da ADM para expor novas informações e servirá como um meio de comunicação onde os players poderão se manter atualizados sobre aquilo que vem acontecendo dentro do fórum.
Por isso peço encarecidamente que sempre estejam olhando este tópico e que o enviem aos novatos para se ater das mesmas coisas que vocês, avisem colegas e amigos sempre que virem algo novo acontecendo.
Se você, jogador, tiver algo para falar a respeito do que foi postado aqui, use nossa chatbox ou mesmo o tópico da central de atendimento: http://www.heroisdoolimpo.com/t46-central-de-atendimento-ao-campista

IMPORTANTE: Esse tópico é para ser atualizado sempre que algo mudar, não precisa ser preenchido somente por Ártemis e Hefesto. Se vc tem algo novo para postar, POSTE COMO COMENTÁRIO AQUI, seja uma mega missão, ou qualquer outra coisa.

Veja em: http://www.heroisdoolimpo.com/t2341-atualizacoes-do-forum-leiam-e-fiquem-por-dentro-do-que-esta-acontecendo

Novidades serão postadas como comentários ao longo do tópico!



Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

 » Estados Unidos da América » Estados Unidos da América » Outros Locais » 

Ir à página : 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 2]

Mercúrio

Mercúrio
Deus Olimpiano
Deus Olimpiano
Ver perfil do usuário
Melina estava no Acampamento Júpiter quando um dos Lares trouxe um pedido especial de Lupa para a garota, dentro de um envelope. Lá tinha uma carta de Lupa e uma quantia em dinheiro mortal: 800 dólares.

Querida Melina
Tenho um favor a pedir a você: Um semideus grego pediu por escolta na California, na universidade de Stanford. É um favor a um velho amigo meu, Quíron, pois segundo ele, a maior parte de seus campistas que estão aptos a escoltarem outros estão em missões importantes. Ele me pediu que achasse alguém do Acampamento Júpiter e pensei em você e em Jack. Aqui no envelope tem dinheiro mortal para você comprar as passagens de ônibus.

Melina iria arrumar suas coisas e partir em direção a California, junto com Jack parando em uma rodoviária perto do Acampamento Júpiter para comprar as passagens para a California.

Jack, um filho de Belona também fora chamado e recebeu alguns dólares a mais para emergência. 200 dólares. Ele iria arrumar seus equipamentos e iria com a filha de Plutão para a rodoviária.

(postar itens em spoiler no 1° post e blablabla)

----------------------------------------------------------------------------------------------------------

Luke estava com seu pai dentro de uma das salas da universidade de Stanford, se escondendo de um homem lagarto que procurava pelos dois. Era final de tarde, então o local estava parcialmente vazio.

- Acho que escapamos. - diz o pai de Luke em uma voz meio estranha. O garoto então, olha para o próprio pai e percebe seus olhos se movimentarem de um jeito bizarro. As pupilas estavam diferentes e suas bochechas tinham... escamas e placas?

Um sorriso reptiliano aparece no rosto do aparente pai de Luke:

- Hora. Do. Lanche.



Be fast, but not furious.
#1
Ver perfil do usuário
Eu nunca esperei que largar minha vida como estudante secundário fosse ocorrer de maneira tão repentina. Pensei que todas aquelas visões e sonhos não passassem de mera alucinação ou mesmo consequências de ansiedade. Eu já tinha recebido uma carta de apreciação da universidade de Stanford, onde meu pai trabalha como professor e pesquisador na área de matemática, e já havia me programado para me mudar pra lá no ano que vem.

O problema é que eu tive que ir bem mais cedo.

Havia sido perseguido por coisas estranhas, um homem lagarto quase havia me matado e meu último recurso foi recorrer ao meu pai, que tratou de me trazer pra dentro do campus, onde eu poderia morar e segundo ele, estar seguro. Isso aconteceu durante pouco tempo, mas acho que sou um imã pra desastres e coisas estranhas.

Um outro lagarto humanoide estava em meu encalço dentro do campus. Por algum motivo, não havia muita gente. Não que eu fosse gritar por socorro, ninguém nunca acredita em mim ou vê essas criaturas de fato. Eu só pensei que poderia despista-lo mais facilmente se estivesse em um ambiente movimentado. Mas isso não seria possível agora.

Em determinado momento, comecei a fugir com meu velho até que entramos numa sala vazia. Não, eu não me sentia seguro. Descobri o motivo quando olhei pra ele. Seus olhos se mexiam de forma esquisita. Tratei de me afastar. Ele então disse que era “hora do lanche” e obviamente, isso não era um convite pra ir ao refeitório. Aquela coisa tinha me alcançado. Mas como isso aconteceu?

- Acho que não.

Não tive outra reação que não fosse empurrar aquela coisa (Se ela estiver perto) e colocar o máximo de obstáculos entre nós. Cadeiras, mesa, o que fosse. Eu tentaria correr e sair dali. Para onde? Não sei nesse momento. Estou desnorteado e ainda esperando pela resposta de uma carta enviada alguns dias atrás. Apesar de achar que não terei uma resposta efetiva tão cedo.

Caso consiga correr, coloco a cabeça pra funcionar. Lagartos... Existem algumas coisas que são efetivas contra esses répteis, e eu poderia usar isso ao meu favor. Iria para a ala de ciências da natureza. Um laboratório de Química seria o lugar ideal para colocar a ideia que me vem à mente em prática. Logo, direciono meus esforços a seguir para esse lugar.

#2

Re: Escolta Luke Samuels - Melina Cesari e Jack

por Jack em Dom 15 Maio 2016 - 15:55

Jack

Jack
Filho(a) de Belona
Filho(a) de Belona
Ver perfil do usuário
Sinto cheiro de morte.

O alvorecer na primavera traz vida às sementes depositadas em terra boa. Os campos multicoloridos crescem. Mas, não se engane, é só morte. Talvez você esteja apaixonado. Como eu estive. E talvez você colha uma flor. Como eu colhi. E talvez você presenteie a garota que acha que ama.

E ela coloca o seu presente num copo de água.

O amor morre.

A flor também.

Tudo está morto. Inclusive os deuses.

Inclusive Deus.

Porque eu o matei.

Com as minhas próprias mãos. E agora eu era Deus. Mas do pior tipo. Já que sequer fui bom o suficiente para mantê-la. Eu sei o que você está se perguntando. "Quem?". E é uma pergunta simples para uma resposta complicada demais.

Aimee era a garota que conheci no orfanato. Foi a primeira pessoa no mundo que mostrou que havia espaço para gentileza e maciez, e não apenas a violência e o sangue. Descobri que Aimee não existia. E matei Deus. E então, me tornei Deus. E então, fiz com que ela existisse.

E ela se foi.

Agora eu sinto cheiro de flores mortas e sonhos partidos. Mesmo no auge da primavera.

E é por isso que minha camiseta roxa do acampamento já não é mais roxa. Foi recolorida de vermelho. Não era como se eu fosse algum tipo de Picasso, ou coisa parecida. Mas devo admitir que admiro a estilização que fiz em minha vestimenta. E nada soava mais verdadeiro que sangue.

Hemorragia sempre foi gritou mais alto do que qualquer pedido de socorro.

Contudo, paradoxalmente, o diretor do acampamento grego pediu por socorro. Por um jovem indefinido que pedia socorro. E eu deveria atender. Aquilo era engraçado. E então sorri, quando recebi a notícia, mostrando os dentes manchados pelo sangue.

Recebi aquele montante de papel colorido pelo qual pessoas se matam, e guardei no bolso. Decorei a sua cor. Eram verdes. Caminhei até a minha coorte, e decorei as cores do meu equipamento também. Eram, em sua maioria, dourado. Ao caminhar para encontrar com Meline, olhei para o céu. E tentei decorar a sua cor. Mas tinha a mesma cor que os olhos de Aimee, e eu já não sabia mais.

Despido de armadura e apenas com algumas armas, mostrei um sorriso para a filha de Plutão do tipo que eu só poderia descrever como "mentiroso". Daqueles em que o canto da boca se arreganha, e os dentes se mostram timidamente. Um pouco do líquido rubro que corre em minhas veias escapou dos meus lábios e manchou a camiseta social branca em que eu vestia.

Ótimo.

Aquilo, provavelmente, queria dizer que eu estava pronto.


Considerar:

Aimee: Jack conversa e mantém um relacionamento sólido com uma garota de existência duvidosa. Para efeitos de narração, a presença da moça pode ser utilizada para auxiliá-lo, o prejudicar ou mesmo só como parte de seus delírios que nada interfiram na narrativa.

Leitura para melhor entendimento: http://www.heroisdoolimporpg.com/t3254-vida-e-morte-de-jack#40790

Equipamentos:

Equipamento de Luta [Ouro][Reforçado]¹
Braçadeiras sanguinárias [1]
Cantil de Cura [Mítico][4 goles][x3]
Cantil de Energia [Mítico][2 goles]
Cantil de Energia [Mítico][4 goles][x2]
² Imperatoriis[Pingente Dourado]
Lança Média





Lost in oblivion. Dark and silent and complete. I found freedom. Losing all hope was freedom.
#3

Melina Cesari

Melina Cesari
Filho(a) de Plutão
Filho(a) de Plutão
Ver perfil do usuário
Não era segredo para o mundo que campistas chegavam aos lotes no acampamento grego, o que me foi surpreendente foi Lupa ter pedido ajuda de um ceifador. Talvez pelo local que o campista estava. Talvez para ter certeza de que o trabalho seria feito verdadeiramente. Não me importava.

Segurando o maço de dinheiro espero alguma reação de Tanatos, não que tenhamos recebido muitas ultimamente. Depois de um breve momento sinto meu sangue gelando na desde meu pulso até as pontas dos dedos e dou um sorriso sádico com sua aprovação. Pego minha foice e começo a me encaminhar quando me deparo com Jack. O garoto fedia a sangue e morte, o que me era bastante útil. Pelo menos não teria que fingir ser agradável durante a viagem.

Sem uma palavra tomo a dianteira e sigo para o terminal de ônibus, quanto mais rápido fosse, mais rápido poderia realizar meu desejo.

Posto os equipamentos no próximo post sz to pelo celular.

#4

Mercúrio

Mercúrio
Deus Olimpiano
Deus Olimpiano
Ver perfil do usuário
Luke começa a empurrar todas as coisas na sua frente, no momento certo, pois o réptil pulou e foi impedido de passar por uma cadeira chutada por Luke. O garoto começa a correr, derrubando todas as coisas na sua frente e a criatura o perseguia, passando por cima dos obstáculos, deslizando, como se fosse feita de água.

Até que a ideia de ir para o laboratório de Química passa pela cabeça do garoto. Ele avança na direção da porta e entra no local. Vários e vários experimentos feitos por professores e alunos estavam por ali. Alguns pareciam recentes e alguns fogões estavam acesos, deixando a umidade do lugar mais baixa do que o comum. O ar condicionado daquela sala nunca funcionara, então sempre ficava desligado.

Luke fica de frente para a janela do outro lado da sala, e a porta se abre com um estrondo. Era o homem-lagarto, agora completamente transformado em réptil, com sua cara inclinada para frente, dentes pontudos e afiados e uma cauda longa e escamosa saindo da sua parte traseira inferior para fora.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Jack e Melina se encontram e vão em direção à rodoviária. No momento, ela estava cheia. Várias e várias pessoas procuravam passagens para vários lugares e apenas dois caixas funcionavam. A fila para os dois estava enorme e eles levariam um bom tempo ali, mais ou menos uns 30 minutos para chegar na parte da frente da fila. Ou eles poderiam roubar de alguém. Alguns passageiros costumavam deixar suas passagens por fora do bolso, mas era necessário muito mais do que só colocar a mão e pegar a passagem.

Antes que eles pudessem decidir o que fazer, eles ouvem o barulho de algum vidro se quebrando. Quando olham na direção, percebem dois monstros: Um deles era um venti, em forma de cavalo, que passava pelas lojas quebrando os vidros e o outro era um grifo. Os semideuses não sabiam o que os mortais estavam vendo, mas viam os mortais correndo para algum lugar para se esconderem. Certo. Eles VIRAM alguma coisa.

Grifo: 100%
Venti: 100%



Be fast, but not furious.
#5
Ver perfil do usuário
Chegar ao laboratório de química foi muito mais cansativo do que eu pensava. Corri como um louco e me apressei para ser rapidamente alcançado pela criatura, que agora não tinha mais a forma do meu pai. Era realmente um lagarto gigante.

Eu sabia que meu pai não era um lagarto e que uma pessoa sofrer mutação desse jeito é algo muito surreal, pois não estou no filme do Homem-Aranha. Aquela coisa não é meu pai, mas ainda assim, existe e quer por algum motivo me matar. Infelizmente eu precisaria de mais tempo se quisesse formular alguma teoria convincente, e tempo é algo que eu realmente não disponho.

A minha única vantagem dentro daquele espaço era o próprio espaço. Conhecia todos os laboratórios de ciências de dentro da universidade porque eles se tornaram minha casa desde que vim morar nessa universidade. Eu literalmente só saía para comer, dormir ou quando algum professor me expulsava da sua aula... Nem todos me permitiam ficar como ouvinte...

Contorno com cuidado e atenção as bancadas, eu precisaria chegar até o terceiro armário, onde estavam armazenados os elementos conhecidos como agentes duplos. Tentaria derrubar ou jogar qualquer coisa na direção da criatura para ganhar tempo e focaria precisamente em encontrar e pegar as soluções de potássio líquido.

Tendo  frasco com o líquido em mãos, o restante do jogo se tornava psicológico. Eu precisava que aquela coisa abrisse a boca e não avançasse em mim de cara. Na forma do meu pai, ele era capaz de falar, mas e como lagarto? Encaro a criatura e faço meu melhor olhar de perdedor para indicar uma rendição que obviamente é falsa. Eu saberia se ele caiu no truque baseado em alguns sinais, como a diminuição do ritmo dele em minha direção ou mesmo se ele começar a falar e cantar vitória. Em todo caso, tento ganhar tempo:

- Tá legal, você me pegou. Só queria saber por que você persegue só a mim quando tem um monte de estudantes nessa escola. Acho que mereço saber por que sou a pessoa premiada, não é?

Independente de receber ou não uma resposta, eu estaria atento àquela maldita boca. Ele poderia falar e falar coisas que pra mim não fariam o menor sentido, mas eu estaria mesmo é aguardando o momento em que ele viria pra cima de mim e me abocanhar, pois jogaria o frasco com o líquido para irem goela abaixo. Se eu conseguisse tal proeza, a vitória seria minha, pois  uma só gota de potássio na corrente sanguínea mata em segundos. Ele acaba com a diferença de carga elétrica que existe entre as partes interna e externa das células, fundamental para a transmissão dos impulsos nervosos. Isso impede a contração muscular e o coração pára de bater.

Se ele me abocanhar, pelo menos vou poder dizer pra Deus que eu tentei lutar pela minha miserável vida.

#6

Jack

Jack
Filho(a) de Belona
Filho(a) de Belona
Ver perfil do usuário
Eu queria socar o mundo.

É menos sobre o atingir, e mais sobre me machucar.

Era incrível como a minha cabeça coçava. Depois do meu ato estúpido de raspá-la ao descobrir que Aimee não existia. Os fios castanhos começavam a crescer e traziam consigo uma vontade de virar o meu crânio do avesso. Depois de uma caminhada inteira sem abrir a boca, a coceira e a falta de ação estavam me deixando tão louco que eu estava a ponto de xingar a minha própria companheira de missão, para começar uma briga.

Por sorte, eu não precisei.

Sem dizer uma única palavra, arranquei em direção ao grifo, soltando, enquanto corria, a minha lança. Aquele era o tipo de luta, e o tipo de momento, que eu precisava lutar com os punhos.

Em minha cabeça, uma dezena de estratégias se formavam. Nove delas eram perfeitas.

A outra, me traria dor.

Por isso, no meio do caminho na corrida até o grifo, faço um gesto obsceno, apontando para o meu próprio pênis, utilizando minha sempre confiável habilidade de enfurecer os outros. Talvez agora eu não precise mais ir até ele, pois ele virá até mim. Mas, eu quero. E com toda a fúria dentro do meu peito, que desafia as leis da física vindo de baixo para cima, preparo-me para o encontro.

Deixo que ele me acerte. Deixo que ele me machuque. E sorrio com a dor. E então, utilizo a proximidade dos nossos corpos ao meu favor, ao socar diretamente o seu bico, com toda a força remoída numa vida de remorsos.


    Considerar:
  • Nível 4 - Nem Todos Podem Ser Berseker: Seja por palavras, gestos ou ações, o legionário consegue enfurecer o seu oponente a ponto que fique cego à consequências e o ataque sem pensar. A habilidade, entretanto, é uma faca de dois gumes, pois do mesmo modo que o inimigo se torna mais previsível, também se torna mais letal. O uso da habilidade requer 20 pontos de energia. A habilidade entrará em espera por 3 rodadas.
  • Nível 6 - Como um Gracie: Trata-se de um modo em que o semideus se torna extremamente veloz e forte, enfrentando inimigos múltiplos ou muito maiores com maior facilidade. Bônus se em combate desarmado. O uso da habilidade requer 40 pontos de energia. A habilidade entrará em espera por 5 rodadas.
  • Equipamento de Luta: Conjunto de manoplas, joelheiras e botas para luta corporal e super resistentes, propícias tanto para ataque como para defesas. Suas ligas acompanham as partes revestidas do corpo do usuário para que ele possa usar perfeitamente a força motora de seu corpo empregando golpes mais firmes e acentuados além de dar conforto e firmeza, evitando contusões/torsos/fraturas. Chance de 15% de golpes atordoantes





Lost in oblivion. Dark and silent and complete. I found freedom. Losing all hope was freedom.
#7

Melina Cesari

Melina Cesari
Filho(a) de Plutão
Filho(a) de Plutão
Ver perfil do usuário
O caos me seguia para todo lado, eu não deveria me surpreender, é claro. Mas na maioria das vezes chegava a ser frustante o quão rápido ele chegava. Vejo os mortais correndo e apenas suspiro.

Morte. Morte e morte, sempre sedenta por sangue.

Vejo meu acompanhante começar a delirar e ir em direção ao grifo, apenas balanço a cabeça e analiso o venti... Talvez quebrar o antigo formulário seria bom, assim, ao invés de minha foice, retiro minha espada da bainha e meço seu peso em minhas mãos, me adaptando facilmente a lâmina negra de ferro estígio. Ativo minhas botas e me coloco na direção do Venti. Decido não usar habilidade nenhuma, gostaria de destrui la somente com minha lâmina.

Assim que me aproximo da mesma, giro o braço em meia lua com minha espada, visando um corte rápido no pescoço da criatura, claro que ela poderia se esquivar e contra-atacar, então conto com meus reflexos para desviar de qualquer coisa que venha daquele ser.



Sem Atrito: O filho de Mercúrio quando usa suas habilidades não sofrerá atrito com o ar.

Esquiva: O Herói tem reflexos e uma habilidade em esquiva muito avançadas.


equipamentos:
Manto Negro ''Morticcus''***
Espada Longa [Ferro Estígio]
[Tatuagem Grega ] {Foice média de duas lâminas} [bronze celestial] (Caveira palma da mão direita}^
%Dragão Negro “Foice de Estígio”
Feitiço da Lâmina da Morte #
Bota Alada
__________________
Acessórios

- Bracelete de latão-10-
Diamante de Almas [0 almas]
- Broche da harmonia -11-
{Tatuagem Grega (Lua vermelha) Esfera Explosiva [Pequena] [3x]
Facas de Arremesso [12x] }
Moletom e Calça Preta [Térmicos]
Portador das Correntes [Pingente][Ferro Estígio]♥
Amaimon [Anel de Ouro Negro]♥♥
__________________
Mochila

2x Poção da Cura [Heroico]
1x Poção de Cura [Mítico]
2x Poção de Energia [Heroico]
Hermes Personalité [Forte] [2x]
HeráclesPersonalité [Forte]
Cantil de Cura [Mítico][4 goles][3x]
(Cantil de Energia [Mítico][4 goles][8x]

__________________
Outros

- Camiseta "ENCONTRO DE EMOS - 30/09/2014"




 "

Fugir agora não resolve nada...
#8

Mercúrio

Mercúrio
Deus Olimpiano
Deus Olimpiano
Ver perfil do usuário
Com o gesto obsceno, o grifo grita e parte pra cima de Jack com mais velocidade. Os dois se chocam, e o filho de Belona sente a dor e sorri. O grifo olha para ele com uma cara de "O quê!?" E recebe um soco na cara, no bico, fazendo-o entortar com a força do golpe e o monstro é jogado para longe, caindo de costas no chão, parando para uma pilastra que tem uma parte quebrada com o impacto do grifo. Ele começa a se levantar e o rosto dele está impreterivelmente engraçado.

Enquanto isso, Melina avança contra o Venti, ativando suas botas e o monstro segue de encontro à filha de Plutão e no momento do choque, os dois se esquivam para o lado e Melina tenta acertar um golpe no pescoço do Venti, porém com a velocidade insana dos dois, a garota apenas acerta um golpe no dorso do monstro e as botas quase se descontrolam pelo vento levantado pelo monstro. Os dois agora passam um pelo outro e se viram, se encarando.


Grifo: 40%
Venti: 85%


----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Luke começa a derrubar itens e mesas no lugar e o lagarto continuava jogando as mesas pra longe. Até que ele encontra o potássio que procurava e se finge de derrotado para o monstro e faz uma pergunta, que o monstro responde:

- Você realmente não sabe, filhote de deusa? Você aparenta ser muito delicioso...

O monstro então, abre a boca para abocanhar o semideus e pula. Nesse momento, Luke arremessa o frasco de potássio que ele havia encontrado na direção da boca do monstro, que simplesmente para. Ele engole o frasco com facilidade e algo dentro dele começa a fazer barulho de algo fervendo. O potássio se misturava com o ácido do estômago do monstro e a reação química fez o estômago do monstro explodir literalmente, deixando para trás tripas e sangue verde de lagarto que cobriram o garoto.

Agora ele precisaria encontrar o seu pai, que aparentemente havia se escondido com toda a confusão.



Be fast, but not furious.
#9
Ver perfil do usuário
Me senti do mesmo jeito constrangedor de quando meu projeto de ciências da segunda série falhou. Eu havia tentado fazer um daqueles vulcões clássicos e tinha tudo pra dar certo, até que meu parceiro, que pra variar era burro, colocou elementos errados e o vulcão explodiu na nossa cara. A diferença é que agora eu estava coberto de um monte de gosma e tinha tripas um pouco espalhadas pelo meu laboratório de química.

O que me intrigou foi que a criatura me chamou de “filhote de deusa”. Seria aquilo alguma piada? Eu nem ao menos conheci minha mãe. Não que ela me fizesse falta, mas ouvir aquilo me deu uma sensação estranha, uma espécie de arrepio. Resolvo pegar algumas seringas de plástico usadas para alimentar animais doentes, um pouco mais de potássio líquido e fazer pelo menos 5 armas novas do estilo injeção letal. Elas ficariam escondidas comigo enquanto eu sairia discretamente do laboratório rumo ao vestiário mais próximo, onde eu precisaria tomar um banho e assim procurar pelo meu pai.

Uma outra coisa que me chamou a atenção é que ninguém além de mim enxerga essas coisas de monstros e muito menos o lagarto, então eu não sei se posso assumir que vão me ver sujo e fedido, mas caminho naturalmente se tiver que passar por outras pessoas. O máximo que vão pensar é que o nerd do laboratório de química falhou em mais um experimento, apesar de eu não errar nenhum faz pelo menos 6 anos.

Se tudo der certo, o primeiro local onde vou procurar pelo meu velho vai ser o dormitório onde vivo com ele, no prédio ao lado do que estou agora.

#10

Conteúdo patrocinado


#11

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 2]

Ir à página : 1, 2  Seguinte

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum