Herois do Olimpo RPG

Fórum de Mitologia Grega baseado em Percy Jackson e os Olimpianos e Os Heróis do Olimpo!




ATUALIZAÇÕES DO FÓRUM




Absolutamente TUDO de novo que foi adicionado ao fórum DEVE ser postado neste tópico (localizado em "Noticias e Atualizações" do Mural Divino). Esse é um tópico de uso exclusivo da ADM para expor novas informações e servirá como um meio de comunicação onde os players poderão se manter atualizados sobre aquilo que vem acontecendo dentro do fórum.
Por isso peço encarecidamente que sempre estejam olhando este tópico e que o enviem aos novatos para se ater das mesmas coisas que vocês, avisem colegas e amigos sempre que virem algo novo acontecendo.
Se você, jogador, tiver algo para falar a respeito do que foi postado aqui, use nossa chatbox ou mesmo o tópico da central de atendimento: http://www.heroisdoolimpo.com/t46-central-de-atendimento-ao-campista

IMPORTANTE: Esse tópico é para ser atualizado sempre que algo mudar, não precisa ser preenchido somente por Ártemis e Hefesto. Se vc tem algo novo para postar, POSTE COMO COMENTÁRIO AQUI, seja uma mega missão, ou qualquer outra coisa.

Veja em: http://www.heroisdoolimpo.com/t2341-atualizacoes-do-forum-leiam-e-fiquem-por-dentro-do-que-esta-acontecendo

Novidades serão postadas como comentários ao longo do tópico!



Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

 » Resto do Mundo » Resto do Mundo » 

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

Ω Louis Kannenberg

Ω Louis Kannenberg
Filho(a) de Dionísio
Filho(a) de Dionísio
Ver perfil do usuário
Não havia pensado muito na minha família desde que tinha chegado no acampamento. Passava a maior parte do tempo treinando, ou bebendo. Deitei na cama do meu chalé á noite, vendo o teto girar sob minha cabeça. Minha vida parecia... vazia. Tudo que fazia era lutar, lutar, lutar. Para sobreviver.

Apenas quando virei para o lado percebi uma carta no chão. Meu nome estava na frente. Olhei atônito para a carta por uma hora. Ou foram dois minutos ? Não sabia exatamente. Enfim criei coragem para pegar a carta e ler. Não parecia nada demais, caligrafia normal, papel normal.

Era uma carta, aparentemente da minha tia. Nunca havia conhecido, nunca havia escutado seu nome. Aparentemente minha mãe e ela moravam na casa da minha avó, mas minha mãe se mudou para minha cidade natal e lá cuidava do vinhedo junto com meu pai... mas tudo deu errado. Aparentemente ela havia recebido a notícia da morte da minha mãe e mandou uma carta, me convidando para passar um tempo na casa dela. Não sabia como ela havia encontrado o endereço do acampamento. Talvez o conhecesse ? Provável.

Claro que iria. Tenho uma chance de viajar. O único problema é que ela mora no Brasil, no Rio de Janeiro.  Não chegavam boas noticias daquele lugar, era somente morte, fome e desgraça.
Estávamos no meio do verão, então por hora apenas responderia a carta.






O verão tinha acabado. Estava no aeroporto, esperando o avião para o Brasil. Já havia despachado minha mala e segurava minha espada élfica. Ao longo do tempo, a quantidade de mortais que conseguiam ver pela névoa diminuiu muito, se tornando um fenômeno muito raro. Então não me preocupo de alguém por acaso se assustar com a espada.

A entrada era de vidro, com balcões e muitas filas. As atendentes vestiam uniformes cinza e vermelho. Suas vozes mecânicas e sorrisos falsos me davam arrepios. O saguão era gigante. A lateral direita também era de vidro, a da esquerda era só parede, deixando somente a parte de trás, que era a pista. Meu portão de embarque estava na minha frente. O aeroporto estava lotado. Era final do verão, as pessoas estavam voltando para suas casas, e a maioria voltava para o Brasil. Não sabia que os Estados Unidos recebiam tantos turistas brasileiros, mas o local estava infestado. A maioria eram adolescentes. Uns estavam sentados, outros em pé. Mexiam em seus celulares, escutavam música. Apesar de ter a idade deles, não acho que me encaixaria. A vida de um semideus exigia um amadurecimento muito rápido, e a maioria deles ainda eram muito imaturos.






Meu plano era entrar e sair do aeroporto sem criar problemas.

Estava sentado, alerta para os perigos. Ficava examinando cada pessoa, cada inimigo em potencial.

- Atenção passageiros, ultima chamada para o vôo 456 com destino ao Brasil. – Disse uma voz no auto-falante do aeroporto. Me levantei, indo em direção ao portão de embarque. Estava tocando uma música, com um volume bem baixo. A conversa da multidão ecoava em meus ouvidos e captava algumas coisas. Negócios, família, amigos.

Não acho que a vida dos mortais é melhor que a nossa. Viver em cubículos no meio da cidade ? Se esforçar em estudar e no futuro não ser ninguém ? A vida dos mortais é cruel. Ou você é o melhor ou você não vale nada.

A vida de um semideus é boa. Todos se conhecem. Todos contam suas histórias, seus sonhos. Somos livres, vivemos aventuras únicas.

Entro no portão de embarque. Até agora nada deu errado. O avião era um pouco grande, mas nada que assustasse. Me sentei no lugar designado e dormi, segurando minha espada por entre as pernas.





Continua...



#1

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum