Herois do Olimpo RPG

Fórum de Mitologia Grega baseado em Percy Jackson e os Olimpianos e Os Heróis do Olimpo!




ATUALIZAÇÕES DO FÓRUM




Absolutamente TUDO de novo que foi adicionado ao fórum DEVE ser postado neste tópico (localizado em "Noticias e Atualizações" do Mural Divino). Esse é um tópico de uso exclusivo da ADM para expor novas informações e servirá como um meio de comunicação onde os players poderão se manter atualizados sobre aquilo que vem acontecendo dentro do fórum.
Por isso peço encarecidamente que sempre estejam olhando este tópico e que o enviem aos novatos para se ater das mesmas coisas que vocês, avisem colegas e amigos sempre que virem algo novo acontecendo.
Se você, jogador, tiver algo para falar a respeito do que foi postado aqui, use nossa chatbox ou mesmo o tópico da central de atendimento: http://www.heroisdoolimpo.com/t46-central-de-atendimento-ao-campista

IMPORTANTE: Esse tópico é para ser atualizado sempre que algo mudar, não precisa ser preenchido somente por Ártemis e Hefesto. Se vc tem algo novo para postar, POSTE COMO COMENTÁRIO AQUI, seja uma mega missão, ou qualquer outra coisa.

Veja em: http://www.heroisdoolimpo.com/t2341-atualizacoes-do-forum-leiam-e-fiquem-por-dentro-do-que-esta-acontecendo

Novidades serão postadas como comentários ao longo do tópico!



Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

 » Acampamentos » Acampamento Meio-Sangue » Outros Locais » Forjas » 

Ir à página : Anterior  1 ... 12 ... 21, 22, 23  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 22 de 23]

Treinar Perícia

por Lucas Trowell em Sex 16 Dez 2016 - 17:28

Lucas Trowell

Lucas Trowell
Filho(a) de Hefesto
Filho(a) de Hefesto
Ver perfil do usuário
Chego na forja com uma vontade de treinar minha perícia então pego 1kg de bronze celestial e começo o trabalho.
Primeiramente eu o coloco no forno, para ele derreter, após isso eu despejo o bronze celestial derretido numa Forma e coloco ela para esfriar.
Depois que ela esfriou eu a peguei e comecei a martela-la para modelar a lamina, feito isso eu comecei a afia-la, e pronto, tinha forjado minha primeira espada.
Sai da forja feliz, pois eu havia feito minha primeira forja. O que eu fiz com a espada? Derreti ela de novo :fuckit:

#211

Re: Forjas do Acampamento Meio-Sangue

por Jason Grace em Dom 25 Dez 2016 - 22:20
Ver perfil do usuário
@Lucas Trowell escreveu:Chego na forja com uma vontade de treinar minha perícia então pego 1kg de bronze celestial e começo o trabalho.
Primeiramente eu o coloco no forno, para ele derreter, após isso eu despejo o bronze celestial derretido numa Forma e coloco ela para esfriar.
Depois que ela esfriou eu a peguei e comecei a martela-la para modelar a lamina, feito isso eu comecei a afia-la, e pronto, tinha forjado minha primeira espada.
Sai da forja feliz, pois eu havia feito minha primeira forja. O que eu fiz com a espada? Derreti ela de novo  :fuckit:


Forja "Bem" Sucedida.

Pontos de Perícia: 20

#212

Lucas Trowell

Lucas Trowell
Filho(a) de Hefesto
Filho(a) de Hefesto
Ver perfil do usuário
Adentrei as forjas animado. Um campista havia pedido um item e eu o forjaria.
Peguei os 10 kg de ouro que comprei e pus a mão na massa.
Primeiramente eu os derreti. Depois de derretidos eu os coloquei em uma forma e coloquei pra esfriar.
Aí eu comecei a fazer as ligas. Após isso eu as afiei e as conectei na corrente de 2,70 metros desse jeito: 1,15 metros em cima, 40 cm pra segurar a corrente e mais 1,15 metros em baixo. A corrente ficou igual essa: https://i.imgur.com/KDbnl.jpg

Corrente[Ouro][Laminada] Entregar para o Yves Kross

Forja Realizada com Relativo Sucesso
Equipamento Criado:


- Corrente [Ouro][5m(10kg)]

#213

Erick Stifler

Erick Stifler
Morto (Romano)
Morto (Romano)
Ver perfil do usuário
Entro nas Forjas com um sorrizinhomem supera no rosto, carregava comigo 1 kg grama de Bronze Celestial. Caminhei rapidamente até a fornalha e o coloquei para derreter. Espero um tempo até o Metal começar a derreter e tiro usando luvas especiais. Coloco parte do Metal em 4 formas circulares formando 4 anéis de Bronze. Logo em seguida pego o metal de sobrou e coloco numa máquina própria para a confecção de Fios.  Aqueles seriam fios de 8 polegadas. Começo a confecção  dos fios lentamente, os redobrando sobre eles mesmo com o Martelo para maior resistência,e para a bonificação no efeito cortante. Após um tempo já havia produzido 16 metros de fios, bem finos. Então os recorto dividindo-os em 8 fios de 4 metros. Pego 4 dos fios e tranço juntos para darem maior resistência e então conecto ao par de anéis que havia construindo antes. Repito o processo com o anterior.

Dali haviam sido formado 2 fios de batalha Cortantes, mas eu ainda não havia acabado.

Pego o restante de Bronze Celestial que havia sobrado.  E começo a Martela-lo sem parar, transformando-o em Po de  bronze Celestial. Pego um massarico e começo a aquecer o pó junto ao fio esticado de modo que o fio absorvesse o relevo do Po  (tipo cerol só que no fio)

Formando assim 2 fios de batalha com Cerol de Bronze Celestial.


25% a mais de chance da forja ser bem sucedida por usar o Martelo do Forjador.


- Fios de Batalha Ultra Cortante- Cada Fio de batalha tem 4 metros. Trançado juntos dando 40% a mais de resistência. O fios além disso possuem 10% a mais de corte pela forma que foram feitos e 25% a mais de corte pelo Pó de Bronze Celestial. (+25% a mais de Resistência por forjar com o Martelo do Forjador)


Vídeo Mostrando um Fio de Sobrevivência normal,  feito por humanos. Sem nenhuma bonificação:

https://youtu.be/79QxpLLLj6o
FORJA ACEITA

- Fios de Batalha Ultra Cortante- Cada Fio de batalha tem 4 metros. Trançado juntos dando 40% a mais de resistência. O fios além disso possuem 5% a mais de corte pela forma que foram feitos.. (+25% a mais de Resistência por forjar com o Martelo do Forjador)


Bonus cortante diminuido por conta da fusão que aconteceria entre o fio e o pó e falta de perícia

#214

Re: Forjas do Acampamento Meio-Sangue

por Kise Ryota em Ter 4 Jul 2017 - 15:13

Kise Ryota

Kise Ryota
Filho(a) de Hefesto
Filho(a) de Hefesto
Ver perfil do usuário
Adentro nas forjas. Que saudade desse lugar.

Sem mais delongas, pego o quilo de bronze celestial que havia comprado e coloco para amolecer, na fornalha.

Depois do tempo de espera, retiro com cuidado o material da fornalha e começo a usar o martelo da forja pra modelar o bronze celestial. O escudo não seria tão grande, no máximo um escudo médio, por conta da quantidade de bronze comprada, mas daria pro gasto. Começo a martelar o metal, esticando-o nas pontas, inicialmente, e em seguida afundando-o no meio, para fazer a forma do escudo.

Em seguida, colocaria a forma do escudo na água e a retiraria, deixando-a sólida. Depois, moldaria três pontas no escudo, uma na esquerda, uma no meio e uma na direita na parte de cima dele, com uma lixa, deixando essas três pontas bem afiadas.

Depois, cortaria ao meio o couro animal que eu tenho e faria duas tiras de 25 centímetros cada uma, colando-as com fogo no escudo, para servirem de alça pra que a arma pudesse ser manejada e segurada.

Se não desse certo colar com fogo e em seguida resfriá-lo, usaria cola de ferreiro mesmo :fuckit:

Em seguida, sairia das forjas, meio feliz com meu trabalho.


Forja ATT + 80 pontos de perícia

Escudo Médio [Bronze Celestial]: Um escudo com suas alças feitas de couro. Na parte da frente o escudo possuí três pontas afiadas de bronze celestial

#215

Nyash Sakirosh

Nyash Sakirosh
Filho(a) de Hefesto
Filho(a) de Hefesto
Ver perfil do usuário
Ah as forjas... é sempre uma nova nostalgia adentrar este local, tão aconchegante quanto o colo de minha mãe. Por mais insignificante que fosse o tempo que eu esteja fora desse local, ele sempre me despertará certa saudade...

Chego em minha bancada com um projeto deveras interessante, nunca fiz nada do tipo, porém estou animado com o desafio a ser vencido.

Projeto:

Primeiramente, com o projeto desenhado, separo 1kg de Bronze celestial e coloco no recipiente e em seguida na fornalha, para fundir. Esse local tão acolhedor me da muita criatividade e vigor. Separo 2 tiras de couro de 20cm kd, e levo a caldeira para ferver, afim de melhorar a resistência do material.
Seguido disso, vou até a caixa de areia, separo o molde pela lâmina (18cm) e pela braçadeira. Com cautela vou moldando as lacunas da peça, com delicadeza para preservar a qualidade da forja. Feito isso, pego meu Martelo de Forja e aguardo.

Cá estou eu novamente neste local, a espera dos processos que independem de mim para concluir... o couro a ferver, e o metal sendo fundido, todo aquele calor me traz calma naquele clima de guerra... é sempre bom distrair um pouco, principalmente nessa situação de tensão a todo instante.

Após a espera, retiro o couro da fervura e separo para esfriar e secar. Vou até a fornalha e retiro então o recipiente com o metal já fundido, carrego-o com cautela até os moldes, e com cuidado, despejo sobre os mesmos até a ultima gota. Espero solidificar.
Com o couro já seco e um pouco quente ainda, faço pequenas dobras em todo o contorno das tiras, afim de obter um melhor acabamento. Com o auxílio de um furador e um martelo, vou furando a parte dobrada da peça, para a posterior costura. Separo para terminar de esfriar.

Com as peças já solidificadas e um pouco quentes ainda, retiro-as da caixa de areia, e limpo as mesmas. Pego as peças e coloco ao fogo para iniciar a têmpera. Retiro as peças e mergulho no óleo para esfriar, separo a braçadeira e repito o processo com a lâmina para um reforço extra. Pego a lâmina já temperada e com o martelo em mãos, vou golpeando precisamente a peça para começar o acabamento. A cada batida do martelo e a cada gota de suor se extinguindo no metal incandescente, me sinto leve, como se o peso da guerra iminente não existisse naquele momento.

Inicio então a finalizar a lâmina, afiando a mesma, para que se façam cortes limpos sem maiores dificuldades. Depois de afiada, dou uma leve polida na peça, assim como na braçadeira e talho nas 2 peças um sistema de encaixe, para acoplar a lâmina a braçadeira. Com os encaixes talhados, uno então as 2 partes e levo ao fogo para um trabalho mais preciso. Com a peça unida, talho nelas então os últimos detalhes do acabamento e xablau, depois de uma pequena apreciação do meu satisfatório trabalho deixo de lado, e volto ao couro.
Com a agulha e a linha, vou costurando as extremidades das peças para um melhor acabamento, com movimentos limpos e precisos para não danificar o couro. Pego novamente o furador, e faço os furos no meio da peça em um dos lados, para fazer a fivela. Coloco então as fivelas nas duas peças já finalizadas, pego a braçadeira, e prendo as tiras de couro, para que a peça possa ser utilizada enfim.

A forja... mal deu um passo para fora, e aquele ambiente já me desperta uma saudade. Porém o orgulho do meu trabalho me revigora, e sigo meu caminho de volta ao meu Chalé.


---------------------------------------------------------------------------------------

Materiais utilizados:
1kg de bronze celestial
40cm de couro

Martelo de forja (não consumido)
Aumenta em 25% as chances de sua forja ser bem sucedida, além de dar bônus (25%) de resistência aos itens forjados.

Item criado:
Braçadeira com Lâmina [N][Resistente]



#216

Re: Forjas do Acampamento Meio-Sangue

por Hefesto em Qui 30 Ago 2018 - 15:30

Hefesto

Hefesto
Deus Olimpiano
Deus Olimpiano
Ver perfil do usuário
@Nyash Sakirosh escreveu:Ah as forjas... é sempre uma nova nostalgia adentrar este local, tão aconchegante quanto o colo de minha mãe. Por mais insignificante que fosse o tempo que eu esteja fora desse local, ele sempre me despertará certa saudade...

Chego em minha bancada com um projeto deveras interessante, nunca fiz nada do tipo, porém estou animado com o desafio a ser vencido.

Projeto:

Primeiramente, com o projeto desenhado, separo 1kg de Bronze celestial e coloco no recipiente e em seguida na fornalha, para fundir. Esse local tão acolhedor me da muita criatividade e vigor. Separo 2 tiras de couro de 20cm kd, e levo a caldeira para ferver, afim de melhorar a resistência do material.
Seguido disso, vou até a caixa de areia, separo o molde pela lâmina (18cm) e pela braçadeira. Com cautela vou moldando as lacunas da peça, com delicadeza para preservar a qualidade da forja. Feito isso, pego meu Martelo de Forja e aguardo.

Cá estou eu novamente neste local, a espera dos processos que independem de mim para concluir... o couro a ferver, e o metal sendo fundido, todo aquele calor me traz calma naquele clima de guerra... é sempre bom distrair um pouco, principalmente nessa situação de tensão a todo instante.

Após a espera, retiro o couro da fervura e separo para esfriar e secar. Vou até a fornalha e retiro então o recipiente com o metal já fundido, carrego-o com cautela até os moldes, e com cuidado, despejo sobre os mesmos até a ultima gota. Espero solidificar.
Com o couro já seco e um pouco quente ainda, faço pequenas dobras em todo o contorno das tiras, afim de obter um melhor acabamento. Com o auxílio de um furador e um martelo, vou furando a parte dobrada da peça, para a posterior costura. Separo para terminar de esfriar.

Com as peças já solidificadas e um pouco quentes ainda, retiro-as da caixa de areia, e limpo as mesmas. Pego as peças e coloco ao fogo para iniciar a têmpera. Retiro as peças e mergulho no óleo para esfriar, separo a braçadeira e repito o processo com a lâmina para um reforço extra. Pego a lâmina já temperada e com o martelo em mãos, vou golpeando precisamente a peça para começar o acabamento. A cada batida do martelo e a cada gota de suor se extinguindo no metal incandescente, me sinto leve, como se o peso da guerra iminente não existisse naquele momento.

Inicio então a finalizar a lâmina, afiando a mesma, para que se façam cortes limpos sem maiores dificuldades. Depois de afiada, dou uma leve polida na peça, assim como na braçadeira e talho nas 2 peças um sistema de encaixe, para acoplar a lâmina a braçadeira. Com os encaixes talhados, uno então as 2 partes e levo ao fogo para um trabalho mais preciso. Com a peça unida, talho nelas então os últimos detalhes do acabamento e xablau, depois de uma pequena apreciação do meu satisfatório trabalho deixo de lado, e volto ao couro.
Com a agulha e a linha, vou costurando as extremidades das peças para um melhor acabamento, com movimentos limpos e precisos para não danificar o couro. Pego novamente o furador, e faço os furos no meio da peça em um dos lados, para fazer a fivela. Coloco então as fivelas nas duas peças já finalizadas, pego a braçadeira, e prendo as tiras de couro, para que a peça possa ser utilizada enfim.

A forja... mal deu um passo para fora, e aquele ambiente já me desperta uma saudade. Porém o orgulho do meu trabalho me revigora, e sigo meu caminho de volta ao meu Chalé.


---------------------------------------------------------------------------------------

Materiais utilizados:
1kg de bronze celestial
40cm de couro

Martelo de forja (não consumido)
Aumenta em 25% as chances de sua forja ser bem sucedida, além de dar bônus (25%) de resistência aos itens forjados.

Item criado:
Braçadeira com Lâmina [N][Resistente]


|Forjado|



https://www.facebook.com/paulohenrique.morais.9
#217

Nyash Sakirosh

Nyash Sakirosh
Filho(a) de Hefesto
Filho(a) de Hefesto
Ver perfil do usuário
Cá estou novamente, a esse local que me acolhe sem mais nem menos. Outro projeto peculiar:

Rengo Dagger:

Pego 1kg de bronze celestial e sem mais delongas coloco direto na fornalha, para começar o processo. Vou até a caixa de areia e modulo toda a parte metálica da arma, os espinhos, o arco do punho e a lâmina, presto muita atenção pela quantidade de detalhes da peça.

Pego então aquele pedaço de 12cm de Cedro Olimpiano e com algumas ferramentas, vou modelando o punho, bem detalhado. Nas duas extremidades eu faço pequenos furos que servirão de encaixe a parte metálica.

Bronze fundido, despejo sobre a forma e aguardo esfriar... Retiro então da caixa, limpo, dou o primeiro banho de óleo e levo ao fogo.
Com o Martelo de Forja vou dando pequenas batidas para afinar as extremidades para demarcar o fio da lâmina e dos espinhos. Após demarcar bem o fio da lâmina, levo ao fogo novamente, e dou um segundo banho de óleo para que a têmpera seja feita com maestria. Começo a afiar toda parte demarcada anteriormente. Com meu martelo e outras ferramentas, vou ajeitando os detalhes, por fim, pego o cabo de cedro olimpiano e encaixo. Por fim, dou um acabamento final, polindo toda a peça.



Materiais usados:
1kg de bronze celestial
12cm de cedro olimpiano
Martelo de forja (não consumido)
Aumenta em 25% as chances de sua forja ser bem sucedida, além de dar bônus (25%) de resistência aos itens forjados.


Item Criado:
Rengo Dagger [Cedro olimpiano][Bronze celestial]



#218

Re: Forjas do Acampamento Meio-Sangue

por Roran em Seg 24 Set 2018 - 12:22

Roran

Roran
Filho(a) de Hefesto
Filho(a) de Hefesto
Ver perfil do usuário
Adentrei as forjas. Inspirei profundamente o ar quente e carregado com o cheiro do metal e da fuligem. O melhor perfume de todos. Sem conseguir evitar um sorriso, serpeei entre as mesas até chegar ao canto que costumava usar. Estava levemente remexido, mas tudo o que eu costumava usar continuava nas proximidades, então logo havia reunido as ferramentas para o trabalho a seguir, e comecei a arrumar os materiais que havia trazido num saco;

1kg de Bronze Celestial
0,200g de Prata
1kg de Grafite
4 Escamas de Dragão – Uma de cada Elemento

Após organizar tudo, comecei a trabalhar. Acendi mais as brasas na fornalha, criando jorros de chamas para ajudar a aquecê-las antes de mergulhar as barras de bronze entre elas. Quando o metal estava já devidamente acamado, peguei a pequena bola de prata e levei até o forno de fundição industrial, onde pus a esfera em um recipiente adequado para seu volume e a deixei na maquina.

Dando a volta, limpei espaço sobre a mesa e abri um grande rolo de papel grosso e amarelado, o qual usei, junto à régua, para fazer um esboço em tamanho real da arma que queria criar;

O processo servia não somente para me dar uma melhor ideia e certeza do design do equipamento, mas também para que eu revisasse através do desenho todos os materiais e métodos que teria de utilizar.

Fui até a mesa de volta e peguei um saco de couro que la havia. Estava cheio com 1kg de grafite, do qual peguei 200g e deixei também em um forno para fundir. Porém, alterando-o para uma temperatura mais alta, onde deixaria o grafite em um recipiente vedado em alta pressão.
Enquanto isso, fui de volta à mesa, peguei um outro saco menor, contendo dentro 4 escamas coloridas; uma esverdeada, uma de um marrom estranhamente dourado, uma vermelha e outra azul. Uma escama de dragão de cada elemento. Com o auxílio de meu punho de oricalco e da bigorna, reduzi as escamas a pó e as reservei, misturando todas em um único vaso. Peguei então uma pequena bolinha de bronze, contendo 20g, de dentro da sacolinha, e a decompus em pó de bronze – o mais fino que consegui. Então adicionei-o às escamas e fui até o forno, retirando de lá o grafite – já liquefeito – e misturando bem a ele os ingredientes em pó. Através de minha Habilidade Rearranjo e de meus conhecimentos sobre metal, aprimorei e modifiquei as propriedades do bronze na mistura, de forma a combinar e formar uma liga estável entre os demais ingredientes, bem como compartilhar as propriedades mágicas de todos entre si – através de Encantar. Com isto, voltei a vedar o recipiente e pô-lo de volta ao forno.

Caminhei até a fornalha onde havia deixado o bronze. Puxei a barra por entre as brasas, e avaliei sua coloração. Satisfeito, apoiei-a sobre a bigorna com a mão metálica esquerda e com o braço de carne e osso comecei a golpear o bronze, acertando três marteladas no metal amolecido antes de virá-lo e repetir o processo, sentindo meus pelos se arrepiarem ao ouvir o som do metal se chocando contra metal. Eu imaginava que devia ser a mesma sensação que os filhos de Ares sentiam ao entrar em uma batalha.

Focado, alonguei a barra de bronze com marteladas e, por fim, dobrei-a sobre si mesma e martelei novamente ate ter o mesmo tamanho inicial de barra. Dei a volta na fornalha, apertando o fole em sua lateral seguidas vezes para avivar o calor e recoloquei a barra lá dentro para aquecer novamente. Inspirei fundo. Um processo trabalhoso de têmpora, porém extremamente válido, devido a seu resultado final.

Meditei um pouco sobre um banco ao lado da bigorna enquanto contava mentalmente os minutos para voltar a retirar a barra. A seu tempo, levantei-me e voltei a caçar a barra de bronze retorcido por entre as brasas e novamente comecei a alonga-lo com golpes de martelo, dobrando-o quando tinha estirado o suficiente e, depois, dobrando-o novamente. Na quinta dobra voltei a aquecer o metal e, por fim, finalizei as 10 dobras desejadas, sentindo uma diferença na textura e na coloração do metal. Satisfeito, polvilhei sal sobre o metal incandescente e após uma ultima 11ª dobra iniciei a moldar a lâmina, martelando o metal duas vezes antes de virá-lo e começar a martelar novamente, para garantir simetria no crescimento da espada que estava se formando sobre a bigorna.  Antes de “fechar” a lamina, pus um cilindro de 1cm de largura dentro do bronze sendo moldado, de forma que, quando eu finalizasse a espada, haveria um cilindo no centro dela. Aos poucos, o semblante da arma tornou-se visível, enquanto eu martelava as laterais calmamente para afinar a lâmina e trabalhava com um martelo menor na base, para garantir as proporções desejadas com mais calma. Enquanto martelava, acionei novamente minha habilidade para Rearranjo, conferindo ao metal das extremidades maior dureza e ao metal do interior da espada maior maciez e flexibilidade; assim, as lâminas manter-se-iam afiadas, e os choques dos golpes seriam absorvidos pelo metal macio no interior, dificultando quebras.  

Antes que a lâmina estivesse pronta senti necessidade de aquecer novamente o metal, e portanto o deixei na fornalha, porém não assoprei as brasas, para aquecer o metal apenas um pouco e lentamente. Enquanto isso, olhei ao redor em busca de uma pedra de amolar e do amolador giratório que costumava usar e ao encontra-lo armei sua corrente para que ficasse pronto para o uso.

De volta à fornalha, peguei a semi-espada e por fim, apliquei os últimos golpes de martelo sobre a lateral da lâmina e do cabo, dando-lhes as proporções corretas, conferindo-as meticulosamente. Retirei então o cilindro que havia colocado em seu centro, deixando um cilindro oco no meio da arma. Com meu martelo e o mesmo cilindro, fiz um orifício atravessando a espada de um lado ao outro. Assim, no punho da arma, haveria um orifício através do qual poderia ser visto o orifício que dava para o centro da lamina. Pus a espadela de volta à fornalha para mantê-la aquecida e fui até o forno de fundição onde estaria meu novo teste.

Retirei do forno o recipiente contendo as escamas, o pó de bronze e o grafite. Deixei-o em cima da bigorna e... aguardei, pacientemente, o tempo que achei correto. Afinal, teria de esperar o tempo necessário para ter o efeito de cristalização desejado sobre a mistura.
A lua já ia alta no céu quando me levantei de meu devaneio e comecei a des-vedar o recipiente, encontrando dentro dele uma joia que brilhava em um leve vermelho incandescente. Tinha o formado do recipiente – quadrada – e seu tom variava em diferentes pontos, além de emitir uma pulsação própria devido ao calor. Eu não sabia até então se tinha dado certo, mas, continuaria o trabalho.

Com o auxilio de uma serrinha dividi a joia em duas. Deixei-as resfriarem completamente sob a luz da lua – o que me pareceu apropriado – e quando estavam frias, peguei-as e comecei o maravilhoso trabalho de lapidá-las, removendo a camada opaca que recobria o brilho multicolorido do interior da joia. Ao cristalizar, o grafite tinha mantido em seu interior um infinito de variações do verde, cobre, azul e vermelho das escamas, além do brilho do bronze celestial entre elas, conferindo uma bela aparência à pedra. Moldei-as então em dois pequenos losangos e os reservei na mesa.
Por fim, fui até o outro forno de fundição e peguei a prata. Segurando a espada com cuidado, derramei a prata derretida lentamente em um filete sobre a cavidade no seu centro, preenchendo o vácuo no interior da lamina com prata e, por fim, selando o buraco com os dois cristais, um de cada lado do punho, usando a própria prata como cola. Com a ajuda de um martelinho e uma agulha grande fiz os entalhes cuidadosamente em volta do punho. Por fim, aproximei-me de uma tina vertical cheia de óleo de resfriamento e ali mergulhei a lâmina, vendo a superfície do óleo emitir uma breve chama incolor e borbulhar com violência com o toque bruto do metal.

Aguardei até que estivesse frio para retirar a lamina e deixa-la descansar sobre a bigorna enquanto fazia um lanche e descansava, para por fim pegá-la e ir até o amolador já montado. Sentei-me de frente à pedra redonda e comecei a pedalar de leve, fazendo-a girar, e encostei a lateral da lamina com delicadeza, começando a dar vida a um de seus fios. E assim, com calma, fui deslizando a espada – agora quase formada – sobre a pedra girando, vendo as faíscas voarem enquanto o metal ganhava um corte. Depois de dar o fio inicial com o amolador sentei-me em um banco baixo com a pedra de amolar, com a qual dei o acabamento, deslizando-a sobre a lamina inclinada para dar brilho e maior corte ao fio.
E por fim... fim. Fiz uma bainha simples com o couro que tinha disponível, cortando-o com as medidas da espada, fervendo-o para dar dureza e então revestindo a bainha de couro duro com couro macio.
Envolvendo a espada em sua nova morada, então, saí satisfeito das forjas, para entregar minha obra e vê-la em teste por seu novo dono.



Mateiris Utilizados;
http://www.heroisdoolimpo.com/t2775p30-loja-de-materiais-magicos-para-pocoes#54533
- Escama de Dragão [x4][Uma de Cada Elemento]
- Bronze Celestial [1,1kg]
- Prata [200g]
- Grafite [200g]
- Couro [1m]

Equipamento que desejo Forjar;

Espada Média “Quarta” [Bronze Celestial][+] – Espada de bronze celestial temporado, com prata em seu interior. Mais tenaz e resistente que o bronze comum, cortando qualquer metal inferior ao mesmo com facilidade. Contém um cristal em cada lado do punho que fortalece habilidades dos 4 elementos, e canaliza magias facilmente.
Imagem: https://i.pinimg.com/564x/df/b9/a4/dfb9a4c37a985d5d5844b5a57dd42c09.jpg

Habilidades de Forja:

[Habilidade Única] Rearranjo: Depois de muito tempo forjando e aprendendo sobre as diferentes propriedades dos mais diversos tipos de materiais, em especial metais, Roran adquiriu conhecimentos extraordinários, podendo modificar suas propriedades físicas sem alterar as mágicas. Pode, por exemplo, transformar uma chapa de metal em tecido, tão resistente quanto, ou uma haste de bronze em um cabo de bronze, com propriedade elástica. As opções são infindáveis, expandindo-se de acordo com o conhecimento/nível/perícia em forja do usuário. A habilidade requer extrema concentração, e só pode ser usada durante uma Forja, jamais em batalhas.

Encantar Forja I: Basicamente, tudo que desafie nossas leis da física é um encantamento. Seu personagem pode fazer um pequeno encantamento em sua arma que está fabricando, isto é, pode lhe conceder um efeito especial como: colocar elemento em uma lâmina, fazer com que ela fique mais leve do que o normal, transmutações de equipamentos para itens que tenham mais ou menos o mesmo tamanho, como transmutar uma um peitoral em mochila e etc. Custa 100 pontos de energia e só poderá ser ativada quando o campista estiver forjando algo. Caso tenha dúvida se este nível de encantamento é suficiente para forjar o que quer, pergunte à um ADM (de preferência antes de fazer a forja para evitar mimimis).Encantar forjas pode ser adquirido por nível (ou seja, ao conquistar o lvl 15) Ou quando o ferreiro conquistar 2/3 de pontos da perícia intermediária. Ou seja, quando o ferreiro conseguir 7.000 (arredondando) pontos da perícia intermediária ele adquire a habilidade encantar forja. (Intermediário: 1000/10.000

Perícia em Forja [Avançado]: Agora, tendo um vasto conhecimento e uma boa experiência quando se trata da metalurgia e da criação de robôs, você é capaz de criar armas complexas, com variados efeitos. Pode também encantar um armamento para que este se disfarce aos olhos alheios, como uma Caneta que vira uma Espada, um Bracelete que se desdobra em um Escudo ou, quem sabe, uma bela tiara que se revela na verdade um imponente elmo. Pode usar qualquer material



Última edição por Roran em Qui 27 Set 2018 - 17:23, editado 1 vez(es)



#219
Ver perfil do usuário
Tudo estava um caos no acampamento e eu não conseguia mais cagar sem ser incomodado.

"Faz mais bombas, mais armas, mate mais monstros"

Essa era o infortúnio de ser forte, todos esperavam que você fizesse tudo para eles, que salve suas bundas. Eu sempre me preparei, eu não sabia bem o porque sempre estava fazendo isso e agora tenho um bom motivo para acreditar que toda essa preparação valeu a pena, afinal, eu sou o mais forte desse acampamento. (com o fato das caçadoras nunca estarem por aqui kek)

Bom, não importava se os outros campistas não estavam preparados, eu tinha que estar por eles se fosse o caso e era por isso que eu entrei aqui nas forjas essa noite. Abdicar minha noite de sono para me tornar mais forte parece ser um bom negócio.

Começo colocando as minhas barras de bronze na fornalha para derreter e então coloco minha armadura sobre a bancada, era nela que eu trabalharia primeiro. Tenho cuidado de desmontar suas partes encaixadas para não ter problema com os componentes isolantes, depois de desmontar tudo, a deixo de lado por um tempinho.

Pego o metal derretido da caldeira e coloco nos moldes de argila que eu já havia feito. Eram 7 moldes cilíndricos com uns 10 centímetros cada. Quando o metal se tornar sólido novamente, mergulho os cilindros no óleo para resfriamento. Isso fazia com que ele ganhasse mais dureza. Depois abro o nosso "forninho" para recozer os tubos por cerca de 1 hora a uns 800 graus. Esse processo fazia com que o metal se tornasse menos quebradiço e mais resistente, alem de ajudar na usinabilidade.


Enquanto os cilindros era recozidos eu pego as minhas Luvas de Neméia. Sim, aqueles eram os equipamentos mais fortes de todo o acampamento, que sá do mundo, e eu ainda assim o via como um potencial para melhorias. Pego os dois olhos de Polifemo que eu tinha, sim, era engraçado eu ter dois olhos de um mesmo ciclope, e começo a esmagar eles com um pilão. Era uma das coisas mais nojentas que eu já fiz, ver aqueles olhos sendo esmagados era de embrulhar o estomago. Depois disso começo a besuntar a manopla com o líquido de olhos e faço uma preçe. [Encantar Forja]

"Não sei se está ai Pai, mas peço que abençoe essa arma mais uma vez. Os tempos estão muito difíceis e você sabe que eu tenho a missão de salvar a todos, eu não posso fracassar então por favor me ajude com sua benção."

Depois disso pego mais uma barra de bronze e a corto em cubos pequenos, o resto da barra eu a derreto. Pego os pequenos cubos e começo a cortar ele, deixando "oco", com uma cavidade. Depois uso o torno mecânico para fazer um buraco em uma das partes do dispositivo. Quando o resto da barra estiver derretido coloco ele nos outros moldes. Esse moldes eram pequenas engrenagens, pistões e um era uma fina linha para formar uma barra comprida e fina de bronze.

Começo a trabalhar com esse dispositivo novo, junto as engrenagens, pistões e tudo mais para fazer um disparador. Pego a barra de bronze e as corto de 5 em 5 centímetros, até fazer cerca de 100 pequenas hastes de metal. Afio suas pontas e pronto, eram 100 agulhas prontas para serem disparadas. Coloco elas todo no compartimento do disparador que eu havia feito a pouco tempo e a testo. Após ver que estava tudo certo, pego uma escama de dragão do trovão, esmago ela até a mesma virar pó e lanço por cima do disparador. Pego meu martelo de forja e dou umas batidinhas nele até começar a brilhar [Encantar Forja]. Pronto, havia deixado tudo elétrico. Acoplo o disparador em baixo das Luvas e centralizo ele para ficar rente ao meu punho, assim eu teria uma mira mais precisa.

Já havia se passado uma hora e os cilindros já haviam sido recozidos então retiro eles do forno e os mergulho no óleo novamente. Depois pego todos os cilindros e corto suas pontas, vou até o torno mecânico e com uma broca especial faço os cilindros ficarem ocos por dentro. Depois uso o torno novamente para fazer uma rosca nos cilindros e nas pontas que eu havia cortado. Encaixo as pontos nos cilindros e a rosqueie para fechar, tudo tinha ficado perfeito.

Retiro novamente as tampas dos cilindros e começo a trabalhar com a solda. Pego um pouco de metal e usando minhas habilidades começo a transformá-lo em pequenas engrenagens e tubos, fazer isso tudo com moldes demoraria um tempo que eu não tenho. Pego a central de solda e começo a soldar os componentes na parte de dentro da tampa junto com uma escama de dragão do fogo. Quando eu acionasse o dispositivo ele rasparia uma isca na escama e soltaria um pouco de fogo dentro do cilindro para queimar o que havia lá dentro. Pego o cilindro que havia sobrado e o corto em finas camadas circulares, depois disso pego essas camadas e coloco dentro do cilindro separando cada cilindro com 10 compartimentos cada. Toda vez que eu acionasse um deles o fogo iria queimar o que havia dentro do primeiro compartimento, depois de queimar o segundo compartimento se abriria para que eu pudesse queimar o que estava nele e assim por diante até chegar no décimo.

Vou até a bancada que estava minha armadura e pego a parte das costas e começo a soldar os 6 cilindros nela. Pego então mais uma barra de metal e usando minhas habilidades novamente, transformo ela em 6 tubos flexiveis de metal com 2centimetros de diámetro. Ligo os tubos nos cilindros e na parte de trás da minha armadura. Após fazer isso abro os cilindros novamente para colocar suas cargas:

1 cilindro = Erva Medicinal [Forte][0x]
2 cilindro = Erva Revigorante [Forte] [0x]
3 cilindro = Hermes Personalité [forte][10x]
4 cilindro = Ares Personalité [forte][10x]
5 cilindro = Héracles Personalité [forte][10x]
6 cilindro = òxigenio comprimido [1 Hora]

Monto a armadura novamente e a visto. Testo todas as coisas novas que eu havia feito e se algo não sair como planejado eu refaço até que esteja tudo perfeito.


Itens forjados:

Cilindros = 6 Cilindros acoplados na costas da armadura de Johnny e que são ligados ao seu elmo, esses cilindros contem cargas de diferentes tipos de substâncias que podem ser acionadas juntas ou separadamente conforme a vontade do campistas.

1 cilindro = Erva Medicinal [Forte][0x]
2 cilindro = Erva Revigorante [Forte] [0x]
3 cilindro = Hermes Personalité [forte][10x]
4 cilindro = Ares Personalité [forte][10x]
5 cilindro = Héracles Personalité [forte][10x]
6 cilindro = Óxigenio comprimido [1 Hora]

Disparador [Agulhas][Elétrico][100x] = Um disparador de agulhas Agulhas acoplado a Luva de Neméia que pode disparar até 5 agulhas por rodada, tendo um alcance de 100 metros.

Habilidades Usadas:

Perícia em Forja [Avançado]: Agora, tendo um vasto conhecimento e uma boa experiência quando se trata da metalurgia e da criação de robôs, você é capaz de criar armas complexas, com variados efeitos. Pode também encantar um armamento para que este se disfarce aos olhos alheios, como uma Caneta que vira uma Espada, um Bracelete que se desdobra em um Escudo ou, quem sabe, uma bela tiara que se revela na verdade um imponente elmo. Pode usar qualquer material.

Sabedoria do Forjador: Você pode pedir, com detalhes, uma explicação sobre o material de qualquer equipamento.

Tecnólogo: Hefesto é o deus das tecnologias, por isso, seus filhos tem um vasto conhecimento com maquinas, eletrônicos, automotores e etc. Eles conseguem saber como um equipamento, ou objeto, eletrônico funciona apenas olhando-o

Encantar Metal III: Com essa habilidade você pode mudar a forma de um equipamento metálico em outra forma e o custo de energia varia conforme a quantidade transformada, 70

Encantar Forja: Seu personagem pode encantar a arma que está fabricando, isto é, pode lhe conceder um efeito especial. A intensidade e poder do efeito depende do nível. E custo de energia depende do efeito desejado(consulte um narrador para mais detalhes).


Materiais usados

5kgs de Bronze
10 hermes personalite
10 ares personalite
10 héracles personalite

#220

Re: Forjas do Acampamento Meio-Sangue

por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado


#221

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 22 de 23]

Ir à página : Anterior  1 ... 12 ... 21, 22, 23  Seguinte

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum